Vertedouro da usina de Itaipu abre de forma ininterrupta por mais de 24 horas

(Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional)

O vertimento começou de madrugada deste sábado (23) e deve parar só no domingo (24). Abertura por mais de um dia seguido ocorreu pela última vez em junho de 2019.

Depois de quase um ano, uma cena rara é registrada na usina de Itaipu. A hidrelétrica começou a verter, neste sábado (23), de madrugada, por volta das 0h30 e deve permanecer assim até domingo (24), de forma ininterrupta. É também a primeira vez que o vertedouro fica aberto num fim de semana com as atividades suspensas do turismo, que deve reabrir gradativamente a partir do dia 10 de junho, aniversário de emancipação política de Foz do Iguaçu.

O último grande vertimento durou de 4 de junho até 10 de junho 2019. Na ocasião, a medida foi para regular o nível do reservatório e a segurança da barragem. Naquele mesmo mês, ocorreu novo vertimento, no dia 19, por cerca de três horas e meia. Neste domingo, a abertura do vertedouro deve repetir a mesma programação, seguindo orientações do Operador Nacional do Sistema (ONS), de otimizar água e energia.

Por volta das 11h deste sábado, o reservatório estava operando na cota 218,7 metros acima do nível do mar. Já a jusante (abaixo da usina), a água chega ao nível 99,5 metros. Esse volume, no entanto, pode oscilar em torno de 2 metros durante o dia.

(Goto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional)

Exceção

Embora a cena seja linda, ela normalmente só ocorre com excesso de água. Mas esta é uma exceção: excepcionalmente, a abertura acontece para ajudar os países vizinhos e só é possível em função da baixa demanda de energia no momento. Abaixo de Itaipu, o nível do rio estava muito baixo, o que inviabilizava a navegabilidade de grandes embarcações.

A operação iniciou na segunda-feira (18), para que o Paraguai e a Argentina pudessem dar escoamento à safra de grãos pelas suas hidrovias. A chuva de sexta-feira (22) também ajudou a dar um alívio no nível do Rio Paraná. A precipitação pluviométrica foi de 80 milímetros sobre o reservatório, um acréscimo de 1,2 mil metros cúbicos de água por segundo.

Só no Paraguai, a estiagem histórica estava prejudicando o transporte fluvial de 200 mil toneladas de soja produzidas nos departamentos de Alto Paraná e Itapúa, o equivalente a US$ 100 milhões em exportações.

É pela hidrovia Paraguai-Paraná que passa grande parte da produção agrícola do Paraguai e da Argentina em direção aos portos de Buenos Aires e Montevidéu, no Rio da Prata. Após acordo entre as chancelarias, a Itaipu iniciou a abertura intermitente do vertedouro, que estava fechado havia quase um ano.

(Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional)

O vertimento deve durar até o fim de maio, com a liberação (defluência média) de aproximadamente 8.500 metros cúbicos de água por segundo (considerando vazão turbinada e vertimento). A operação com o vertedouro não afeta a produção porque a demanda caiu em função da pandemia da covid-19.

Com informações da Comunicação Social da Itaipu Binacional

Publicado por Cris Loose

Sou jornalista formada pela Universidade Estadual de Londrina, com especialização em Comunicação e Marketing e com experiência em TV, rádio, impresso e assessoria. Aprendiz de jornalismo no mundo digital e apaixonada por informação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: